26 July 2011

Da série "Perguntas Difíceis de se responder"

Por quantas e quantas vezes em nossas vidas, as vezes por conveniência, outras espontaneamente mesmo, nos vemos em situações nas quais fazemos de tudo, ou no mínimo quase tudo para agradar alguém ou algum grupo, comunidade, sociedade? Inúmeras vezes...
Há a letra de uma música, muito boa por sinal, Descartáveis da banda capixaba Dead Fish, que diz:
A humanidade é o produto. Sempre atrás de bonificações.
Talvez essa seja a essência de muita coisa mesmo. Talvez isso explique algumas, ou melhor, várias atitudes que tomamos no dia-a-dia. É o chefe, os colegas, os amigos, a esposa, o namorado, o cliente, o sogro, várias (se não todas) pessoas e grupos nas quais estamos constantemente preocupados em impressionar, ou no mínimo agradar.
Por falar em essência, - a liberdade de interpretação é sempre o supra-sumo da Liberdade, porém, vou pedir licença para explicar a minha intenção com essa rapidinha de hoje - não é que estamos errados em agradar, afinal, a vida é política, diplomacia e boa convivência. É isso que mantém o mundo girando há tempos e tempos. O texto de hoje começa e termina com perguntas... Afinal, a vida é uma grande pergunta (?).
Por quantas vezes paramos para pensar se o que estamos fazendo, nossas atitudes ou relacionamentos estão agradando a única pessoa que realmente importa na vida, nós mesmos? Quando vamos ter a consciência de que a tão perseguida felicidade só existe pra mim se for pra mim e pra você se for pra você? 


No comments:

Post a Comment